Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
O Nordeste possui o maior potencial solar do país, característica que favorece ao desenvolvimento desta matriz nos próximos anos. Atenta a essa questão, a Coelba, empresa do Grupo Neoenergia, deu início às obras do Laboratório de Certificação de Painéis Fotovoltaicos, localizado no Parque Tecnológico da Bahia. Financiado pela empresa, este será o primeiro laboratório de certificação de placas solares fotovoltaicas do Nordeste, e um dos quatro do país. A iniciativa é fruto de convênios da distribuidora com a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (Secti) e com a Universidade Federal da Bahia (Ufba).
No total, estão sendo investidos R$ 4,3 milhões, através do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo Neoenergia, aprovado pela ANEEL. O laboratório irá funcionar numa área de 600 m². Apenas na estrutura física do prédio, que terá dois pavimentos, serão aportados R$ 2 milhões. Após a construção do espaço, que fica pronto até o final de junho, começa a fase de aquisição dos equipamentos. Entre os mais importantes estão os simuladores solares, as câmaras climáticas e os equipamentos de medição. O próximo passo será a acreditação – reconhecimento formal de que o laboratório está devidamente habilitado para fazer as validações de produtos – por parte do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).
No laboratório, serão feitos testes para aferir se as placas fotovoltaicas estão em conformidade com as diretrizes definidas pelo Inmetro. Após a conclusão da obra, a Coelba vai doar o laboratório ao Parque Tecnológico da Bahia. Pesquisadores e professores da UFBA, que também participam da concepção e execução do projeto, irão gerenciá-lo. A estrutura estará à disposição dos fabricantes que queiram comercializar as placas no Brasil, já que, para a venda desses produtos no país, é necessário passar pelo processo de certificação do produto.
Com potencial para se tornar referência nacional em certificação de placas fotovoltaicas, o laboratório de certificação de placas solares em construção no Parque Tecnológico da Bahia faz parte de um plano ainda maior do Grupo Neoenergia. Trata-se de um Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento Estratégico, realizado em cooperação entre as distribuidoras de energia elétrica Coelba, Celpe (Pernambuco) e Cosern (Rio Grande do Norte), cujos investimentos são da ordem de R$ 24 milhões.
Esse projeto cooperado inclui, além do laboratório, a usina solar de 1 MW já implantada na Arena Pernambuco, arranjos técnicos, comerciais e regulatórios para inserção da energia solar na matriz energética brasileira e o desenvolvimento de um transformador eletrônico para conexão de painéis fotovoltaicos ao sistema elétrico de distribuição.
Serviço:  
Como funcionam as placas solares?
Os sistemas fotovoltaicos, como as placas que serão analisadas no novo laboratório de certificação de placas solares, são capazes de gerar energia elétrica através das chamadas células fotovoltaicas. Estas células são feitas de materiais capazes de transformar a radiação solar diretamente em energia elétrica através do chamado “efeito fotovoltaico”, que acontece quando a luz solar, através de seus fótons, é absorvida pela célula fotovoltaica. A energia dos fótons da luz é transferida para os elétrons que, então, ganham a capacidade de movimentar-se. Assim, o movimento dos elétrons gera a corrente elétrica. Atualmente, o material mais usado na produção dos painéis é o silício.